Buscar
  • Gunnar Georgi

Manutenção e Conservação na Hotelaria.

Atualizado: 23 de Fev de 2019



A manutenção e o trato com a conservação são feitos, "quando dá tempo e quando tem dinheiro". É dessa forma que o patrimônio e a fonte de receita do negócio em grande parte das vezes, são tratados.

 Aos olhos dos hóspedes, a percepção de conforto e aconchego está diretamente ligada à como o meio de hospedagem mantém operando sua estrutura.

Isso é muito considerável quando pensamos que um dos fatores principais que faz com que o cliente retorne ao nosso hotel ou pousada está ligado diretamente á forma que ele percebeu todo o contexto da manutenção e conservação, o cuidado e o zelo com a estrutura física do local.

Abordando de uma forma mais técnica o assunto e buscando um caminho apropriado para uma implantação permanente de um sistema que envolva manutenção e conservação no meio de hospedagem, seja ele do porte que for; tudo começa a partir de um planejamento, da elaboração de um plano de manutenção que contemple áreas comuns e áreas habitacionais e que contemple o ano fechado.





Os caminhos para realizar esse plano são basicamente dois; buscar conhecimento externo (terceiros- consultoria/prestadores de serviço) ou fazer a elaboração interna de um plano de manutenção próprio.

Ao pensar em buscar auxílio externo, o foco deve ser a realização do plano anual, já que a execução deste precisa ser feita na íntegra pelo empreendimento para um período fechado (12 meses ou proporcional aos meses para fechar o ano). O alinhamento das ações a serem realizadas precisa ser feitas em sintonia com a realidade do meio de hospedagem; daí para frente à responsabilidade é da propriedade.

Pensando em custos para esta opção, é alto o valor para contratar esse serviço terceiro? Sempre vai depender do formato dessa contratação. O mais aconselhável é buscar um profissional da área e trazê-lo de forma autônoma para realizar o trabalho. Um profissional nessas condições de contrato, invariavelmente não tem custo tão alto. Previsão de realização do trabalho é no maximo de dois meses, dentro de um contexto de normalidade.

Elaborando o plano de manutenção internamente, consultando conteúdo próprio para a execução deste, de uma forma simples e objetiva, o desenho de um cronograma físico - financeiro, dentro do período de um ano fechado, deve ser realizado com participação de um comitê ou grupo de funcionários das diversas áreas do empreendimento. Um levantamento das prioridades de cada departamento precisa ser levado em consideração para a elaboração do mapa de planejamento - mês a mês, onde são alocadas previsões de realizações das melhorias, reparos e renovações individualmente.

De uma forma ou de outra, o ponto relevante a refletir é "a manutenção e conservação são primordiais e indispensáveis para o sucesso do negócio na hospitalidade”.

Cabe assim ao empreendedor deste segmento, um cuidado, uma atenção especial com esse assunto, dentro de seu hotel ou pousada visando sempre buscar opções eficazes e inteligentes para melhorar o resultado, seja financeiro , seja de patrimônio do empreendimento.

14 visualizações

© 2016 by IHEC.